Ligue!

11.5543.0039

Cirurgias para eliminação de varizes são rápidas e pouco agressivas



Hereditariedade, obesidade, uso de hormônios, gravidez, sedentarismo e passar muita horas em pé são fatores que podem desencadear a doença, de acordo com o vascular do Hospital Villa-Lobos, Eduardo Brigídio

Pernas marcadas, inchadas e dores, muitas dores. Esses são alguns dos sintomas das varizes, problema que se caracteriza por veias dilatadas nas pernas e com perda de função. Com a chegada do verão, a doença ganha destaque principalmente pelo fator estético. Mas, de acordo com o vascular e especialista em tratamento de varizes do Hospital Villa-Lobos, Eduardo Brigídio, essas veias merecem muito mais atenção. Além do desconforto que causam pelas dores e no impacto negativo na autoimagem, muitas vezes elas são tão comprometedoras para a saúde, que necessitam de cirurgia.  Graças aos avanços da Medicina, porém, elas já podem ser realizadas de modo rápido e muito seguro: “Estamos falando de cirurgias pouco agressivas e que demandam em média 24 horas de internação. E o resultado costuma ser excelente, com impacto muito positivo sobre o bem-estar e a saúde da pessoa”, afirma o especialista.

Fatores de risco:

A doença tem forte apelo hereditário, mas de acordo com o médico do Hospital Villa-Lobos, outros fatores podem colaborar para aumentar o problema: “Obesidade, uso de hormônios, seja para anticoncepção ou menopausa, gravidez , sedentarismo, número  de gestações e passar muita horas em pé são fatores que podem dilatar as veias e, consequentemente, gerar as varizes”, explica o vascular.

Medicina Alternativa:

Castanha da Índia, ginkobiloba e cáscara sagrada são alguns exemplos de fitoterápicos que fazem sucesso quando o assunto são varizes. Contudo, de acordo com o especialista, eles não devem ser utilizados como tratamento. “São medicamentos considerados flebotônicos, ou seja, reforçam a parede das veias, melhorando o retorno venoso. Podem ser indicados em pacientes com dores de causa venosa e edema (inchaço) por varizes, mas apenas como complemento do tratamento”, ressalta o especialista.

Evolução da doença:

Segundo o médico, um grave erro é a demora em procurar tratamento, uma vez que as varizes  podem se desenvolver rapidamente e trazer sérias consequências. “A doença é evolutiva e o quadro é bem variado. Normalmente, começamos com imperfeições estéticas, que são os vasinhos e micro-varizes, passando por dores e inchaço até chegar à dermatite ocre (pele de cor marrom em pernas), eczema de estase locais (coceiras), úlceras (feridas) venosas, tromboflebites e tromboses; além disso, podem ocorrer sangramentos em varizes de grosso calibre”, explica o especialista do Hospital Villa-Lobos.

Mulheres x Homens

Engana-se quem acredita que a doença é exclusiva de mulheres: os homens também sofrem com as varizes – a diferença é que eles raramente procuram tratamento. “Homens também têm varizes, a proporção é de 3 mulheres para 1 homem. Ocorre  que as mulheres normalmente procuram o consultório na fase inicial, já homens só vão ao médico em caso extremos, com varizes de grosso calibre e com fortes dores”, assinala o cirurgião vascular.

Gravidez

Durante a gravidez, as varizes podem piorar e trazer problemas para as futuras mamães. “Algumas mulheres sofrem mais durante a gestação, com dores e edema de pernas, devido às mudanças do corpo. Para amenizar esses sintomas, recomenda-se o uso de meia elástica e pouco ganho de peso”, afirma Eduardo Brigídio.

Cirurgias:

O especialista do Hospital Villa-Lobos explica que as cirurgias de varizes estão cada vez menos agressivas e, na maioria dos casos, não necessitam de mais de 24 horas de internação “Elas podem ser realizadas através de mini-incisões e as varizes retiradas numa cirurgia não provocam danos à circulação, uma vez que as outras veias normais e o sistema venoso profundo normal se encarregam de garantir o fluxo de retorno”, diz. “Existem também muitos tratamentos com escleroterapia convencional (técnica conhecida como “secar os vasos” ), espuma guiada com ultrassom, ablação por radio frequência e laser”.

Mitos e Verdades

Alguns mitos sobre as varizes ainda rondam as pessoas que sofrem com a doença. Aqui, o especialista do Hospital Villa-Lobos ajuda a desvendar alguns deles:
Ficar muito tempo em pé – Piora as varizes
Salto alto – Não influencia nas varizes
Caminhar – Ajuda na musculatura e melhora a dor
Subir escadas – Não influencia nas varizes
Pegar muito peso em academia – Pode desencadear varizes e vasinhos

Atendimento à Imprensa -Ecco Press Comunicação
Nilza Botteon/ Camila Michel
(11) 5543.0039/ 8326.8374 / 9923.8242
camila.michel@eccopress.com.br
nilza.botteon@eccopress.com.br

Nilza Botteon

Mais de 20 anos de experiência em Jornalismo, com ênfase em Assessoria de Imprensa, desenvolvendo e liderando projetos de Construção de Marca e Relacionamento com a Imprensa. Sócia-fundadora e diretora da Ecco Press Comunicação desde 2003, ao lado de Renata Garcia Bernardes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

© Ecco Press Comunicação Ltda  •  by Oibê  •  RSS